Confira os formatos de blended learning mais bem sucedidos em empresas globais

formatos de blended learning mais usados pelas empresas globais

Com o amadurecimento do mercado de aprendizado online, as empresas tem percebido que não existe uma solução única para todas as necessidades de treinamento. Por isso, cada vez mais o blended learning, ou ensino híbrido, tem feito parte da estratégia das organizações.

No blended learning, cada etapa do aprendizado é oferecido utilizando o recurso que mais se adequa ao momento, contemplando métodos simples e sofisticados para atingir os objetivos.

Bem, combinar os recursos parece uma ideia promissora, mas como escolher? Quais métodos tem dado melhor resultado? Essa foi uma das perguntas respondidas em uma pesquisa realizada pelo Oxford Group, em parceria com a Kineo, ambos da Inglaterra. Cerca de cem empresas participaram da pesquisa, muitas delas com forte presença no Brasil como a Telefônica e a Siemens.

Constatou-se que em média cada estratégia de blended learning combina de 4 a 5 dos métodos alistados abaixo. A seguir, você confere os resultados em ordem de preferência dos participantes da pesquisa, acompanhado do percentual de utilização nos projetos pesquisados:

  1. e-Learning assíncrono (75,8%)

  2. Acesso a biblioteca de recursos (72,7%)

  3. Treinamento presencial (66,7%)

  4. Social Learning (51,5%)

  5. e-Learning síncrono com turmas reduzidas (42,4%)

  6. Coaching presencial (42,4%)

  7. Coaching remoto (39,4%)

  8. Project-based learning (36,4%)

A partir desses números, podemos tirar algumas conclusões:

  • O aprendizado online tem a preferência das organizações globais, encabeçando as duas primeira colocações. Além do fator redução de custos, isso indica que as empresas estão confiando na autonomia do aluno em gerir o próprio desenvolvimento.
  • O treinamento presencial, por sua vez, continua tendo forte papel no blended learning, seja como complemento, seja como ‘espinha dorsal’ da capacitação, demonstrando que a combinação online e presencial tem dado certo.
  • Mesmo em posições mais baixas, nota-se a adesão a recursos inovadores que requerem bom planejamento como e-learning síncrono, ou recursos especializados, como coaching e project-based learning. Isso indica uma tendência a testar novas metodologias, sem no entanto, se desfazer dos aspectos clássicos do treinamento como o da experiência compartilhada em grupo.
[useful_banner_manager banners=2,3 count=1]
Eduardo Leopold

About Eduardo Leopold

Co-fundador da DOCTA e especialista em aprendizado digital. Desde 2006, ajuda empresas a desbloquear o potencial de seus colaboradores por meio da educação e tecnologia.