Por que o aprendizado digital não é ensino mecanizado

aprendizado digital não é ensino mecanizado

Algumas pessoas confundem o aprendizado digital com mecanização do treinamento. Acreditam que se aprenderem por um computador ou smartfone estarão perdendo algo que com certeza teriam se tivessem em sala de aula. Há ainda quem acredite treinamentos online sejam apendizado de baixa qualidade, simplesmente porque é feito sem uma pessoa ao lado.

O fato é que o e-learning quando é aplicado corretamente tem muito de humano.

As empresas que investem no e-learning tentando aplicar o velho modelo de industrialização, ou seja, simplesmente trocar a pessoa (instrutor) pela máquina, cometem um grave erro porque é impossível o aprendizado sem participação humana.

“O desenvolvimento do aprendizado digital envolve em geral mais pessoas e troca de ideias do que um treinamento em formato convencional.”

As etapas de desenvolvimento do e-learning seguem o modelo ADDIE, que correspondem às etapas de Análise, Design, Desenvolvimento, Implementação e Avaliação. Todas as etapas envolvem profunda participação de diversos profissionais. Um programa de e-learning envolve especialistas no conteúdo, o designers instrucionais, os desenvolvedores de mídia digitais e revisores de usabilidade e texto. Todos devem compreender não apenas o assunto a ser abordado, mas a realidade vivida pelo público-alvo de forma a adequar o e-learning ao máximo às suas necessidades. O desenvolvimento do aprendizado digital envolve em geral mais pessoas e troca de ideias do que um treinamento em formato convencional.

Além disso, o trabalho não termina com a entrega do curso. A etapa de avaliação deve garantir que sejam recolhido os indicadores de aproveitamento e lições aprendidas que darão suporte para futuras melhorias e definirão os rumos para outros treinamentos.

Assim, o modelo ADDIE garante que a aplicação de um e-learning seja resultado de um trabalho de especialistas em instrução digital que acompanharão o treinamento e irão melhorá-lo continuamente. Isso para não falarmos no ambiente no qual o e-learning está inserido. Muitos ambientes de aprendizado, são altamente colaborativos e dependem da participação de pessoas para que as iniciativas funcionem corretamente.

Assim, o aprendizado digital, em suas múltiplas formas de aplicação como cursos, apostilas, podcasts, redes sociais entre outros, são mídias digitais, mas que em cada ponta, tem pessoas envolvidas que constroem um aprendizado essencialmente humano.

[useful_banner_manager banners=2,3 count=1]
Eduardo Leopold

About Eduardo Leopold

Co-fundador da DOCTA e especialista em aprendizado digital. Desde 2006, ajuda empresas a desbloquear o potencial de seus colaboradores por meio da educação e tecnologia.